Big Data: o que é, importância, como aplicar e desafios

Dados estruturados, como o nome sugere, são dados que possuem certa organização. Como mostra esta reportagem, são produzidos, diariamente, cerca de 2.5 quintilhões de bytes em forma de texto, imagens, vídeos e áudios. Depois, https://www.portalonorte.com.br/concursos-e-empregos/por-que-investir-em-um-bootcamp-de-programacao-em-vez-de-cursos/123213/ na fase de gerenciamento, é que começa a organização e o tratamento, para que os dados sigam para a próxima etapa, a de análise. A primeira fase consiste em integrar as origens dos dados e extrair o volume existente.

O big data pode ajudar você a lidar com diversas atividades de negócios, desde a experiência do cliente até a análise avançada. A nuvem oferece uma escalabilidade verdadeiramente elástica, na qual os desenvolvedores podem simplesmente criar clusters ad hoc para testar um subconjunto de dados. E os bancos de dados gráficos também estão se tornando cada vez mais importantes, com sua capacidade de exibir grandes quantidades de dados de forma a tornar a análise rápida e abrangente. E um dos melhores sistemas do mercado é o STRATWs One, um software de gestão que ajuda a organizar melhor a sua rotina, gerenciar e engajar a sua equipe, para ter o foco em resultados. Incentive a colaboração entre equipes de diferentes disciplinas, como cientistas de dados, engenheiros, especialistas em domínio e analistas de negócios.

Dados estruturados (ou multi-estruturados)

Também chamada de Inteligência de Negócios, o BI agrupa um conjunto de dados, teorias e processos para criar uma solução capaz de apoiar a tomada de decisão da empresa. Nesse caso, ela está diretamente relacionada ao conceito de Big Data, mas são conceitos diferentes. Esses são apenas alguns exemplos de como as empresas estão usando o Big Data para melhorar suas operações e aumentar seu sucesso. Ainda há muitas outras áreas em que ele pode ser aplicado, e é provável que novos usos surjam à medida que a tecnologia evolui.

Big Data

Usar dados para tomar decisões é a forma mais eficiente de levar seu negócio ao sucesso. Afinal, com o uso de indicadores, você identifica mais facilmente onde estão os erros e as oportunidades, direcionando suas ações de forma bootcamp de programação mais eficiente e assertiva. Cerca de 72% das organizações industriais acreditam que a análise de dados irá otimizar a relação com consumidores e a inteligência na gestão de clientes, ao longo do ciclo de vida do produto.

Quais são os principais desafios do Big Data?

Graças a essas soluções, é possível tomar decisões e desenvolver insights mais embasados e assertivos. Os indicativos são capazes de ajudar na tomada de decisões mais assertivas e, principalmente, mais adiantadas do que a concorrência. O mais incrível é que isso é realizado em grande velocidade, com uso de ferramentas específicas de Tecnologia da Informação (TI). E isso inclui não apenas os bancos de dados públicos, como o YouTube é para os vídeos ou a Wikipedia, que funciona como a maior enciclopédia da internet. A ferramenta, além de ajudar com o mapeamento, contribui com o entendimento dos custos para melhor direcionamento e controle. E, com a análise dos dados, é possível direcionar mais acertadamente as comunicações.

Empresas são compostas por dados variáveis externos e internos que possuem uma importância fundamental na elaboração das estratégias corporativas. Big Data é uma ideia relacionada com dados e tomadas de decisões que podem mudar o destino de determinado negócio. Tem experiência no desenvolvimento de produtos desde 2009 e escreve para empreendedores sobre a personalização de lojas virtuais. Você consegue imaginar quais são os benefícios proporcionados pelo Big Data para as empresas?

Identificando padrões

Certifique-se de que os dados sejam confiáveis, atualizados e representativos do contexto em questão. Antes de mergulhar no mundo do Big Data, defina claramente os objetivos que você pretende alcançar. Determine quais são as perguntas que deseja responder ou os problemas que pretende resolver. Os gestores estão usando dados para identificar padrões suspeitos e prevenir fraudes em suas operações de cartão de crédito e outras transações financeiras. No entanto, a origem do big data em si está entre as décadas de 1960 e 1970, quando começaram a surgir os primeiros data centers e o desenvolvimento do banco de dados relacional. Neste caso, ao invés de falar sobre comportamento, como um social data, ou de dados fornecidos por setores da empresa, como o enterprise data, trata-se de um data of things.

É uma mistura de texto, imagens e dados estruturados como formulários ou informações transacionais. A ideia de variabilidade também pode ser aplicada a dados diários, sazonais e relativos a eventos específicos, o que gera um grande volume de informações e traz desafios no gerenciamento. Outro exemplo é Wikipédia, com textos disponíveis em bancos de dados para consultas online. Porém, o Big Data não se resume apenas a bancos de dados e informações online. Houve um crescimento incomensurável na importância da informação corporativa e aumento no valor de dados gerados nos últimos tempos.

Geef een reactie

Het e-mailadres wordt niet gepubliceerd. Vereiste velden zijn gemarkeerd met *